GOB-MS Grande Oriente do Brasil - Mato Grosso do Sul

Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.

25 de Abril – Dia Nacional do Rito Brasileiro

terça, 25 de abril de 2017 às 13h27

25 de Abril – Dia Nacional do Rito Brasileiro

Com a fundação do Rito Brasileiro em 1914 por Lauro Sodré, pode-se dizer que foi consagrada à maioridade maçônica do Brasil, pela autodeterminação a que se propõe o Rito Brasileiro quando afirma conciliar a Tradição com a Evolução, impondo a consciência do povo maçônico do Brasil.

Em virtude de não possuir Rituais completos, aliado aos efeitos danosos da 1ª Grande Guerra Mundial (1914-1918), que deixou o país abalado e com suas Instituições funcionando em absoluta precariedade, os Rituais Simbólicos do Rito, redigidos por Otaviano de Menezes Bastos e Álvaro Palmeira, só viriam a ser publicados, a partir de 1940, o que levou o Rito a ficar, praticamente, adormecido até março de 1968, já que, até àquela data, não havia nenhuma loja Simbólica em regular funcionamento.

O então Soberano Grão-Mestre Geral Álvaro Palmeira, que tomara posse em 1963, diante desse fosco cenário e em razão do anseio de muitos Irmãos de trabalharem segundo as regras do Rito Brasileiro, desencadeia o processo de sua implantação regular e, ouvido o Conselho Federal da Ordem, baixa o Decreto nº 2.080, de 19 de março de 1968, concretizando a medida.

Por que 25 de abril é considerado o Dia Nacional do Rito Brasileiro? Sempre é bom voltar no tempo e rememorar o 25 de Abril de 1968, data em que iluminados Maçons como o Prof. Álvaro Palmeira, inspirado no legado deixado por Lauro Sodré, Gonçalves Ledo e tantos outros ilustres brasileiros que colocaram como seus ideais a Arte Real uma nova Missão que se constituiu num importante marco na História de nossa Pátria: a reimplantação do Glorioso Rito Brasileiro, com duas importantes fundações: a da primeira Loja Simbólica – a Fraternidade e Civismo nº 1697 – jurisdicionada ao Grande Oriente do então Estado da Guanabara (a Primaz do Rito) e do próprio Supremo Conclave do Brasil.

A história contemporânea do Rito Brasileiro é a própria história de maçons ilustres que obstinadamente, desfraldaram a Bandeira Nacional e a transportaram para o interior dos Templos Maçônicos, não isoladamente como símbolo Augusto da Nação, mas como a própria Nação dentro da Maçonaria.

Em ocasião tão auspiciosa, cumpre ao Primaz, não apenas saudar a todos, mas, também, dirigir-vos palavras de ânimo e gratidão. Ânimo porque, embora a gratificação emocional que de uma forma ou de outra resulta da boa e suave vida em união, deve ser reconhecido que o exercício maçônico não é algo fácil em meio aos labores do dia a dia, de uma vida cada vez mais complexa.

Complexa no lidar profissional, nas responsabilidades familiares, na convivência comunitária em geral; de uma vida que deve ser vivida em um mundo que se apresenta cada vez mais materializado, preso a egoísmos destrutivos. Gratidão porque – embora na humildade característica de um bom maçom, muitos de vós percebem o quanto têm realizado pela prosperidade do Rito – a verdade é que do trabalho individual de cada um, do devotamente, disciplina, interesse, da prática fraternal de que muitos são incansáveis – diga-se, a maioria – vem dependendo o visível progresso do Rito.

Na oportunidade, embalados pelo entusiasmo dos 49 anos da Reimplantação Vitoriosa, saúdo a todos vós, Irmãos do Rito Brasileiro e vos exorto aos esforços mais abnegados, às esperanças mais confiantes, aos ideais mais puros e empolgantes, como por exemplo, repetir a todos o sublime preceito do Rito que diz: “Não se pode servir à Pátria, se não se servir primeiro à Humanidade”.

Saudações pelo Dia Nacional do Rito!

Nei Inocencio dos Santos
Soberano Primaz do Rito Brasileiro

Fonte: GOB-MS

Notícias relacionadas