GOB-MS Grande Oriente do Brasil - Mato Grosso do Sul

Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.

INOCÊNCIA

sexta, 13 de outubro de 2017 às 12h25

INOCÊNCIA
 
A pura inocencia vive, perdura como o cerne que teima em permanecer rígido, forte, colossal, embora o passar dos anos mostre a resistência aos olhos daqueles que admiram o simples, o normal, o belo, distante do artificial.

A inocencia continua presente entre nós, uma maravilha, basta olharmos a nossa volta e, com certeza ela aparece assim, sem mais e sem menos.

É preciso parar para ver, parar mesmo, porque na correria com a cabeça a mil não dá para apreciar a inocencia, na sua essencia, na expressão mais natural possível, desapegada e despojada de artifícios.

Ela é perceptível nos sorrisos, nos gestos, no jeito de andar, de se comunicar, no trato entre pessoas, no doar e ser prestativo, nas pessoas bondosas que não conseguem enxergar a maldade que campeia em todo e qualquer lugar, no desabrochar da flor que encanta o jardineiro, pelo seu esplendor.

Ela é despretensiosa por si só, sem macula, um diamante em estado bruto, um lago ou corredeira de águas cristalinas, um local calmo em meio às pedras e verdes das matas, e sons dos cantares dos pássaros multicoloridos, do farfalhar das folhas, dos animais, distante do mundo moderno, longe da hipocrisia.

Pois é sentimos a inocencia de perto quando nos é permitido ver na sua plenitude, naquilo que existe de sagrado, a criança.

A criança um ente presente para o futuro, recebe a luz ao vir ao mundo desconhecido e, inocente começa a aprender a ser gente. Mas, no percurso até chegar à fase adulta leva muitas “cacetadas”, durante o aprendizado.

Mas como dizíamos, a inocencia vem aos olhos quando nos deparamos com crianças em direção, ao encontro do velho barbudo (barba branca), de cabelos brancos e longos, em trajes vermelho e branco, e botas pretas. Ah! Na cabeça uma espécie de gorro, nas cores encarnado na maior parte e branco nas extremidades.  Sim, o Papai Noel recepcionando meninas e meninos. O Natal está próximo. Crianças gostam de ganhar presentes. Mas, nem todas são contempladas, infelizmente.

E que tanta alegria! Os pequeninos, com expressões de contentamento em ver e poder se aproximar do bom velhinho, conversar e ter a possibilidade de abraçá-lo, e mesmo sentar no seu colo e posar para a fotografia.

Luciana Calaúto Alves/Arquivo pessoal

O comportamento das crianças nos inebria e, como num passe de mágica, passa um “filme” na mente cujo título é NATAL.

E, nessas ocasiões a criança que há em nós vem à tona querendo se manifestar, mas o tempo já é outro, só resta recordar e constatar a inocência presente nas crianças agarradas no Papai Noel, todas eufóricas.

E faz nos lembrar das palavras de Jesus: “vinde a mim as criancinhas...”.

É a inocencia por completo, puríssima, na terra globalizada. A emoção toma conta, lágrimas, sorrisos, ninguém segura, contagia, é dezembro período de festas.

O mundo encantado é das crianças, com todo direito que elas têm, por serem o símbolo da inocência.

Salve o dia das Crianças!

Nelson Vieira**Secretário Estadual de Educação e Cultura do GOB-MS, membro da Academia Maçônica de Letras de Mato Grosso do Sul, da Academia de Artes, Ciências e Letras Castro Alves – POA, correspondente da Academia Rio Grandense de Letras – RS e da Associação Internacional de Poetas.

Fonte: GOB-MS

Notícias relacionadas

  • MÃE!

    domingo, 29 de abril de 2018 às 15h00 Editoriais

    MÃE, NOSSA DE CADA DIA Mãe! Uma palavra pequenina, que exprime uma força descomunal, pertinente às mulheres, possuidoras da dádiva de procriar seres semelhantes. No entanto, há aquelas...

  • A PÁSCOA

    sexta, 30 de março de 2018 às 19h05 Editoriais

    A PÁSCOA Tem para o cristão um significado muito importante, quando relacionada à chegada de Jesus a Jerusalém, a ceia com os apóstolos, a crucificação e a ocorrência da ressurreição. O...

  • A ESPERANÇA

    sexta, 30 de março de 2018 às 19h03 Editoriais

    A ESPERANÇA Todos, indistintamente têm nesta palavra concentrado seus sonhos e desejos de verem a realização dos mesmos, num espaço de tempo. Temos assim, a renovação dos votos para...